terça-feira, 28 de agosto de 2012

,


Cada dia me sinto mais louca, rouca, barroca.
Cada vez me vejo mais confusa, efusa.
Cada hora me encontro mais fora da linha, sem a rima ser toda minha.
A rima não rima,  e não é minha, não é sua, é nossa.
É de ninguém.