domingo, 29 de abril de 2012

Um flit paralisante qualquer.

Está frio. Quero um copo de pão de queijo e outro de cappuccino. Ouvir Cat Stevens cantando o quanto o mundo é selvagem, e quando passar para próxima música do disco que diz da saudade dos velhos tempos de escola, chorar de saudades antecipadas da minha melhor amiga. Quero me enrolar no cobertor e beijar a garota que amo. Então, congelar o tempo e nunca mais envelhecer, nem amargurar. Somente ter a sensação de estar protegida por sentimentos preciosos que deixamos passar no cotidiano.